logomarca

logomarca

Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Resumo: OS TRANSPORTES NO BRASIL E AS FONTES DE ENERGIA E RECURSOS MINERAIS NO BRASIL

Os Transportes No Brasil

è  Rodovias constituem o principal sistema de transportes no Brasil. 62% das mercadorias no Brasil são transportadas através das rodovias e 96% do transporte de pessoas é feito pelas rodovias. Isso se deve ao fator da modernização implantada no país pelo governo JK, que priorizou a construção de rodovias no país.
As rodovias federais são classificadas pela sigla BR, e conforme o primeiro dígito sabe-se qual a função da rodovia. A classificação das BRs brasileiras é feita da seguinte forma:
Ø  Radiais: de 0 a 100, ex: BR 040. (Partem da capital federal em direção a outras cidades)
Ø  Latitudinais: de 101 a 200, ex: BR 101. (cortam o Brasil de norte a sul)
Ø  Longitudinais: de 2001 a 300. (cortam o Brasil de leste a oeste)
Ø  Diagonais: BR 316 (Belém a Maceió) cruzam o país em dois sentidos de orientação: noroeste-sudeste ou nordeste-sudoeste.
A partir da metade da década de 1990, os governos investiram na construção de hidrovias e instalação e recuperação de portos e aeroportos, visando diminuir a dependência em relação ao transporte rodoviário.
A administração de muitas rodovias passou para o controle de empresas privadas.

è  Ferrovias – Surgiram em meados do século XIX, como o desenvolvimento da cafeicultura. A partir da segunda metade do século XX, com a entrada da indústria automobilística no Brasil, o governo optou pelo transporte rodoviário. Isso gerou uma decadência no transporte ferroviário, que até então era mais utilizado no Brasil.
          Na década de 1990 as ferrovias passaram para o controle de empresas privadas.
         As principais cargas transportadas pelo sistema ferroviário do Brasil são: aço; minério de ferro; petróleo; carvão mineral; calcário e cimento.

è  Transporte Fluvial – A navegação fluvial no Brasil tem pouca importância no conjunto da economia do Brasil. As principais hidrovias do Brasil são:
1.         Tietê Paraná.
2.         Tocantins Araguaia.
3.         Rio Amazonas e seus Afluentes.
4.         Rio Francisco.
5.         Rio Paraná e Paraguai.

As Fontes de Energia e recursos minerais no Brasil

FONTES DE ENRGIA

Petróleo - A exploração de petróleo foi estatizada na década de 1950, quando foi construída a Petrobrás. É a fonte de energia primária mais utilizada no Brasil. Brasil não apresenta grandes jazidas no continente. A maioria de nossas reservas aparece ao mar.
Ø  O estado do Rio de Janeiro é o maior produtor nacional. A Replan - Refinaria de Paulínia – SP, é a maior refinaria de petróleo do país. Com a exploração de petróleo no Pré - Sal (Oceano Atlântico), o Brasil se tornará autossuficiente e um dos maiores produtores mundiais de petróleo.
Ø  Bacia de Campos/ RJ – maior área de exploração de petróleo no país = descoberta década de 60. *Bacia de Santos (Campos de Tupi e Campo de Carioca) – maior reserva de petróleo do Brasil descoberta.
Ø  Construção da Refinaria Abreu e Lima, parceria com a Venezuela em Recife-PE (Petrobras + PDVSA da Venezuela).
Carvão Mineral – É utilizado nas siderúrgicas e termelétricas.
Ø  O Rio Grande do Sul tem as maiores reservas do país.
Gás Natural – É utilizado no cotidiano doméstico e veículos automotores.
Ø  O Rio de Janeiro tem as maiores reservas do país.
Ø  O gasoduto Bolívia – Brasil tem 3500 km de extensão e liga Rio Grande na Bolívia, passando por MS, PR, SP, SC e RS no Brasil.
Energia Hidrelétrica – O Brasil tem um dos maiores potenciais elétricos do mundo. É entre o Brasil e o Paraguai, que está construída a 2ª maior usina hidrelétrica do mundo, a hidrelétrica de Itaipu no Rio Paraná.
è  Bacia do Paraná: possui maior potencial hidrelétrico instalado no país.
è  Bacia Amazônica: possui maior potencial hidrelétrico não instalado do Brasil. Desafios: A instalação de usinas de grande porte na Região Norte.
Biomassa – Consiste na utilização de materiais orgânicos como fonte de combustível (bagaço - de cana). Produção de álcool
Ø  As cidades de Ribeirão Preto-SP e Cássia – MG se destacam na utilização de biomassa como fonte de combustível. PRINCIPAIS ÀREAS DE CULTIVOS DE CANA-DE-AÇUCAR: Planalto Ocidental Paulista; Zona da Mata Nordestina; Baixada Fluminense.
Ø  PROÁLCOOL PROGRAMA Criado no governo Ernesto Geisel (1975) ; subsidiado pelo governo até a década de 90. Teve apoio do setor automobilístico;  Teve seu recuo no Governo Collor com a privatização do setor energético.
Ø  PRÓS e CONTRAS DA BIOMASSA :Menor emissão de CO2; Não substitui o óleo diesel;  Redução de dependência com petróleo; Reafirmação das grandes propriedades.
Energia Nuclear – O Brasil colocou em funcionamento 03 usinas nucleares: Angra I, Angra II, Angra III, em Angra dos Reis – RJ, COM O OBJETIVO DE MINIMIZAR A DEPENDENCIA DO PAÍS EM RELAÇÃO ÀS HIDRELÉTRICAS.
Ø  As usinas Angra são apelidadas de “Vaga – Lume”, pois ligam e desligam, sem resultados significativos.
RECURSOS MINERAIS

1- Vale do Rio Trombetas (PA): Maior jazida de bauxita do Brasil, matéria-prima básica para a produção de alumínio. O minério é explorado por grandes empresas estrangeiras e nacionais.

2- Serra do Navio (AP): Foi a mais tradicional área de extração e exportação de manganês do Brasil. Desde 1998, a exploração do minério está paralisada devido ao esgotamento da jazida. Grande parte do manganês extraído da região foi exportada para os Estados Unidos.

3- Quadrilátero ferrífero (MG): Principal área de extração do minério de ferro, responsável por 80% da produção nacional. A região também é rica em manganês e bauxita. A produção atende ao mercado interno (usinas siderúrgicas) e externo (Japão e Europa). A produção é escoada pela estrada de ferro Vitória-Minas até o porto de Tubarão (ES) e pela estrada de ferro Central do Brasil até o porto de Sepetiba (RJ).

4- Maciço de Urucum (MS): A jazida, localizada próximo à cidade de Corumbá (MS), é rica em minério de ferro e manganês. A produção abastece principalmente os países da América do Sul, sobretudo Argentina e Bolívia, e o escoamento ocorre pelo Rio Paraguai.

5- Serra dos Carajás (PA): Na região está localizada a maior jazida de minério de ferro do mundo e a segunda maior área de extração do Brasil. Também são extraídos manganês, bauxita, cobre e ouro. A produção é destinada principalmente, ao mercado externo e escoada até o porto de Itaqui (MA) pela estrada de ferro Carajás. O minério é embarcado em navios que transportam para os Estados Unidos, Canadá, Japão e Europa.

Resumo: A POPULAÇÃO BRASILEIRA E OS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS NO BRASIL

A população brasileira
A população brasileira é formada por três tipos étnicos básicos: os indígenas, o branco e o Contexto negro africano. No século XX, mais um grupo étnico veio a participar da formação da histórica população brasileira: os asiáticos (representados pelos japoneses, chineses e coreanos).
O primeiro censo demográfico do Brasil foi realizado em 1872. Desde então, a população brasileira parou de aumentar ao longo dos anos. Isso se deve a dois fatores principais:

Ø  Saldo de imigrantes positivo (mais imigrantes do que emigrantes)
Ø  Crescimento natural positivo (maior natalidade de que mortalidade)

Mesmo crescendo ao longo dos anos, houve uma queda nas taxas de natalidade a partir da década de 1960.
Isso se deve a fatores como:

Ø  Maior acesso da população a métodos contraceptivos;
Ø  Inserção da mulher no mercado de trabalho;
Ø  Maior acesso a informações.

Apesar de populoso com 190.755.799 habitantes (2010), o Brasil é pouco povoado, com uma densidade demográfica de 22,4 hab./. A maior densidade demográfica no Brasil concentra- se na parte leste, ou seja, no litoral e nas áreas próximas ao litoral. Esse fato se deve ao processo de colonização e com as atividades econômicas que se desenvolveram ao longo dos anos.

è  Durante a colonização, o povoamento foi instalado na parte leste do território. As chamadas “drogas do sertão”, a mineração e a pecuária, foram os principais responsáveis pelo povoamento do interior do país. Isso não acabou com a concentração populacional no leste do território.

Nos últimos censos e pesquisas demográficas mostram que a população brasileira está envelhecendo e há um maior número de idosos, ao mesmo tempo em que o número de jovens está diminuindo. Isso ocorre por que:

Ø  Aumento na expectativa de vida;
Ø  Diminuição nas taxas de natalidade.

Em 2010, os idosos eram 20,5 milhões de pessoas. O envelhecimento da população exige mudanças na política social do país:
Ø  Investimentos no sistema de previdência;
Ø  Investimentos na assistência médica;
Ø  Investimentos em projetos sociais de inserção dos idosos na sociedade.
Nos últimos anos, o Brasil vem apresentando um novo padrão demográfico que se caracteriza pela redução da taxa de crescimento populacional e por transformações profundas na composição de sua estrutura etária, com um significativo aumento do contingente de idosos.
Atualmente, a população economicamente ativa no Brasil exerce atividades ligadas ao setor terciário, principalmente: serviços e comércio. O Brasil segue o mesmo processo dos países emergentes, ao apresentar um grande crescimento do setor terciário.

Distribuição da população brasileira por setores de atividades PEA (População economicamente ativa)

è  Setor Primário: Agropecuária + extrativismo 49,9% 50,1% vegetal + extrativismo mineral - (20,6%)

è  Setor Secundário: Indústria + Construção civil + Inativos Ativos Mineração - (22,9%).

è  Setor Terciário: Comércio + prestação de serviços + transporte + comunicações + administração pública - (56,5%).

 Os movimentos migratórios no Brasil

Os maiores fluxos migratórios internos no Brasil foram maiores somente a partir da década de 1960, principalmente por causa da atividade industrial no sudeste e por causa das novas fronteiras agrícolas ou garimpos na Amazônia.

Entre a década de 1960 e 1970, os principais fluxos migratórios eram:

Ø  Nordestinos (para a região Sudeste e Amazônia)
Ø  Atividades de atração: indústria (Sudeste) garimpo e agricultura (Amazônia)

Entre a década de 1970 e 1980

Ø  Migrantes deixaram o Sudeste e Sul em direção ao Nordeste e Centro- Oeste em busca de terras a preços muito baixos.

O início do século XXI foi marcado pela “migração de retorno”

Ø  As políticas regionais, e o crescimento econômico do Nordeste fizeram os nordestinos retornarem aos lugares de origem.

IMIGRAÇÃO NO BRASIL
A imigração no Brasil pode ser compreendida em três períodos:

è  Primeiro Período migratório: (1808-1850) - Imigração pequena por cauda do desinteresse de imigrantes em trabalhar em país escravagista.

è  Segundo período migratório: (1850-1934) – mais importante e intenso motivado pela abolição da escravatura e necessidade mão-de-obra (cafeicultura) com trabalho assalariado.

è  Terceiro período imigratório: (após 1934) – diminuição progressiva da imigração; fim República Velha; quebra da bolsa de Nova York (1929); criação de leis que restringem entrada de imigrantes.

Imigrantes no Brasil
1.         Portugueses 31,06%
2.         Italianos 29,90%
3.         Espanhóis 12,9 %            
4.         Alemães 4,2%
5.          Japoneses 4,0%

Maiores Emigrações Brasileiras
1.          EUA - 1,3 Milhão/ Brasileiros
2.         Paraguai – 400 mil/ Brasileiros (Brasiguaios)
3.          Japão - 280 mil/ Brasileiros (Dekasseguis)
4.         Espanha – 100 mil/ Brasileiros          
(Fonte: Itamaraty)




Resumo: O MEIO URBANO NO BRASIL

O MEIO URBANO NO BRASIL

A industrialização brasileira, concentrada no Sudeste, em especial em São Paulo, formou uma rede urbana comandada por duas metrópoles: São Paulo e Rio de Janeiro, consideradas metrópoles globais e megalópoles brasileiras.
No Brasil, existem metrópoles, cidades de grande, médio e pequeno porte, interdependentes de acordo com sua influência, dando origem à hierarquia das cidades.

A rede urbana brasileira

A rede urbana brasileira é marcada por uma hierarquia que leva em conta os sistemas de transportes, de comunicação e de infra- estrutura em geral. Rede Urbana- Conjunto de cidades interligadas umas às outras através de uma infra-estrutura como sistema de transportes e de comunicações.

As metrópoles são as principais cidades da rede urbana brasileiras. Elas podem ser de influência global, nacional ou regional. O Brasil tem somente duas metrópoles globais: São Paulo e Rio de Janeiro.

Região Metropolitana- Conjunto de cidades vizinhas umas das outras, integradas a uma cidade principal (a metrópole). Para facilitar a administração pública, o planejamento e a integração das infra- estruturas do país, os governos (federal e Estaduais) criaram através de leis, 28 regiões metropolitanas.

As 20 maiores Regiões  Metropolitanas do Brasil

1.         Baixada Santista
2.         Belém
3.         Belo Horizonte
4.         Brasília (RIDE)Região Integrada de Desenvolv.
5.         Campinas
6.         Cuiabá
7.         Curitiba
8.         Fortaleza
9.         Goiânia
10.      Maceió
11.      Manaus
12.      Natal
13.      Porto Alegre
14.      Recife
15.      Rio de Janeiro
16.      Salvador
17.      São Luís
18.      São Paulo
19.      Vale do Paraíba
20.      Vitória

A partir dessas considerações, a malha urbana brasileira é classificada da seguinte forma:

è  Metrópole Global: são cidades de grande importância cultural e econômica. São os centros urbanos mais conhecidos internacionalmente. São Paulo e Rio de Janeiro.

è  Metrópole nacional:  exerce influência nos centros regionais, capitais regionais e nas metrópoles regionais, tem importância em diferentes estados. Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Brasília e Curitiba.

è  Metrópole regional: cidades que exercem grande influência em seu próprio. Concentram um número superior a um milhão de habitantes e detêm uma economia diversificada. Belém, Manaus, Goiânia e Campinas.

Urbanização no Brasil

Só ocorre urbanização quando o crescimento da população urbana é superior ao crescimento da população rural. O Brasil apresentou uma urbanização acelerada. Atualmente o Brasil apresenta cerca de 82% da população urbana (vivendo nas cidades).

Causas da urbanização acelerada do Brasil:
Ø  Crise da cafeicultura pós-1929, intensificando o êxodo rural no país.

A expansão das cidades no Brasil Não seguiu uma orientação ou planejamento. A falta de moradia é um dos mais graves problemas das cidades brasileiras.
A intensa e acelerada urbanização brasileira resultou em sérios problemas sociais urbanos, entre os quais podemos destacar:

SEGREGAÇÃO ESPACIAL: SEGREGAÇÃO URBANA /SOCIAL / ECONÔMICA:

q   Distribuição espacial não homogênea
q  Ocupação desordenada (favelas) contrastando com o moderno e a riqueza (condomínios de classe alta);
q  Macrocefalia urbana, ou seja, inchaço das cidades, que passam a apresentar intensa favelização, falta de infraestrutura social.
q  Aumento do número de favelas e cortiços,  falta de infraestrutura e todas as formas de violência.
q  Cidade informal junto com a cidade formal;
CIDADE FORMAL Cidade bem planejada com ampla infraestrutura. CIDADE INFORMAL É formada pelas áreas excluídas, ou seja, com carência de infraestrutura, de serviços urbanos além de possuir ocupação desordenada. O processo de favelização das cidades realiza-se em virtude da urbanização má planejada ou desordenada.



Resumo: O MEIO RURAL BRASILEIRO

O Meio Rural Brasileiro

A estrutura fundiária de um país consiste na forma como as propriedades rurais estão distribuídas, tanto pela área como pela forma de utilização.

A Estrutura Fundiária no Brasil é marcada por:

q  Concentração de grandes propriedades nas mãos de poucas pessoas.
q  Grande numero de pequenas propriedades nas mãos de muitas pessoas.
q  Concentração de terras, principalmente na Amazônia.

A estrutura fundiária brasileira ficou ainda mais concentrada por causa da Lei de Terras.

Lei de Terras promulgada em agosto de 1850 e institui a propriedade privada da terra no Brasil. Determinou que as terras públicas ou devolutas só poderiam ser adquiridas por meio da compra. Isso consolidou o latifúndio no Brasil, pois as terras forma compradas por grandes proprietários rurais.
 O INCRA (Instituto de Colonização e Reforma Agrária) classificou as propriedades agrárias no Brasil de acordo com o Módulo Rural.

Reforma Agrária Consiste na redistribuição de terras (propriedades rurais) tendo o Estado como agente de realização do processo.

Módulo Rural: área de terras capaz de assegurar rendimento para subsistência para cerca de 4 pessoas, de acordo com a região e o tipo de exploração.
De acordo com o critério de módulo rural, o INCRA classificou as propriedades agrárias do Brasil em:

è  Minifúndios pequenas propriedades rurais, geralmente exploradas para a subsistência. Ocupam 20 % das propriedades rurais no Brasil estão nessa classe.

è  Empresa rural- propriedade agrária com no mínimo 50% de sua área agricultável utilizada. Exploração a nível nacional. Ocupa 40% das terras no Brasil

è  Latifúndio- grande propriedade agrária, onde a terra é mantida inexplorada ou subaproveitada. Ocupa 40% das terras no Brasil.

Algumas figuras se destacam no meio rural do Brasil

è  Parceiros Trabalhadores que atuam em parte das terras de um proprietário, sendo que o lucro é divido conforme acordo estabelecido.
è  Arrendatários Trabalhadores que alugam a terra e pagam ao proprietário em dinheiro.
è  Meeiros Trabalhadores rurais que pagam ao proprietário pelo uso da terra, com a metade da produção.
è  Temporários ou bóias- frias Trabalhadores rurais contratados em épocas de colheita.
è  Grileiros Pessoas que apresentam documentos de propriedade falsos.
è  Posseiros Pessoas que tomam posse irregular das terras.
è  Jagunços Pessoas que zelam pela propriedade dos fazendeiros e de  grande proprietários.

Estatuto da Terra Lei federal de 31 de novembro de 1964 que estabelecia a proporção e a dimensão das propriedades rurais no Brasil. As regiões Norte e Nordeste são as regiões que apresentam a maior população economicamente ativa no setor agropecuário.


Resumo: A ECONOMIA BRASILEIRA

 A ECONOMIA BRASILEIRA
Durante muito tempo a economia brasileira foi considerada como um “arquipélago” – formado por um conjunto de ilhas, separadas uma das outras. Esse modelo arquipélago se refere ao fato de que as áreas econômicas do Brasil ficavam assim:
MODELO ARQUIPÉLAGO DE ECONOMIA DO BRASIL
1.         A cana-de-açúcar Na Região Nordeste do país;
2.         O café na região Sudeste;
3.         A borracha na (Amazônia) região Norte;
A integração econômica do Brasil só se iniciou de fato na década de 1930 com o início do processo de industrialização e se consolidou a partir da década de 1950, com a introdução do capital e investimentos internacionais. A indústria foi o fator responsável pela integração econômica brasileira iniciada na região Sudeste. No entanto, as principais áreas econômicas do país ainda estão concentradas na parte centro-sul do Brasil.  
A indústria brasileira

A industrialização do Brasil iniciou-se no final do século XIX. Alguns fatores possibilitaram esse processo:

û  Acumulação de capitais pela atividade cafeeira;
û  Substituição do trabalho escravo pelo trabalho assalariado;
û  Fortalecimento do mercado consumidor;
û  Capital estatal.
A segunda fase da industrialização brasileira teve a participação de dois grandes governantes: Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek. Essa segunda etapa ficou caracterizada pelo modelo de substituição de importações, voltada para o abastecimento interno, e baseada na união de capitais estatais nacionais e capitais privados estrangeiros.

Existe uma concentração das indústrias principalmente nas regiões sul e sudeste do Brasil, destacando-se o estado de São Paulo. Recentemente, os estados do Pará e Goiás foram os que tiveram o maior crescimento industrial.
    
O processo de industrialização do Brasil seguiu a seguinte sequência:
 
Até 1930 – Nesse período o Brasil apresentava poucas indústrias e bens de consumo não duráveis. O país não tinha bens de capital, as maquinas eram importadas, criando uma dependência tecnológica.

1930 a 1955 – A partir da década de 1930, a indústria assumiu importância na economia nacional.  A crise de 1929 e posteriormente, a segunda guerra mundial, limitaram a capacidade de importação de maquinas e matérias primas, favorecendo a indústria nacional.

O modelo de importação foi substituído por indústrias nacionais. O governo incentivou substituição de importações para produzir produtos nacionais.

Merecem destaque:

q  CSN (companhia siderúrgica nacional) em Volta Redonda – RJ. 1941. FUNDAMENTAL PARA IMPULSIONAR A INDÚSTRIA DE BASE NO BRASIL
q  Companhia Vale do Rio Doce. 1947.
q  Petrobrás – 1953
1956 – 1990 – o governo JK, implantou o plano de metas com o slogan “50 anos em 5’’ e o desenvolvimento industrial do país ganhou impulso, com a implantação da industria de bens duráveis (automóveis, eletrônicos).

1960 a 1970 houve um grande crescimento econômico conhecido como “milagre brasileiro’’ (1968 – 1973) no período da ditadura militar.

A década de 1980 foi marcada por estagnação econômica, inflação e desemprego. A década a de 1980 ficou conhecida como “década perdida”.

1990 aos dias atuais

A década de 1990 inseriu o Brasil no processo de globalização, houve muitas privatizações e o Brasil passou por um processo reestruturação econômica. O Brasil está atraindo empresas multinacionais, principalmente indústrias automobilísticas.                

O setor industrial brasileiro vive um momento de desconcentração de suas atividades periferização/ interiorização (entrada no interior do país) ;afastamento dos grandes centros

è  1º Guerra fiscal (isenção de impostos doação de fatores de desconcentração e infra-estrutura).
è  2º Mercosul (proximidade de áreas de exportação).
è  3º Força dos sindicatos ( greves e aumento de salários )
A Agricultura brasileira A agricultura do Brasil apresenta as seguintes características:

q  Predomínio da produção agrícola voltada à exportação.
q  Subutilização do espaço agrícola.
q  Os melhores solos agrícolas são cultivados para a exportação.
                       
Os Principais Produtos Agrícolas do Brasil:

è  Cana-de-açúcar - A maior produção ocorre em São Paulo.
è  Laranja – O Brasil é o 2º produtor mundial, superado apenas pelos EUA. São Paulo é o maior produtor nacional.
è  Soja – O Brasil é o 2º produtor mundial, superado apenas pelos EUA. Mato Grosso do Sul é o maior produtor nacional.
è  Café – O Brasil é o maior produtor mundial de café, seguido da Colômbia. Minas Gerais e Espírito Santo são os maiores produtores.

A Pecuária brasileira A pecuária brasileira apresenta as seguintes características:

Ø  Baixa rentabilidade.
Ø  Baixa qualidade dos rebanhos.
Ø  Baixa produtividade dos rebanhos (devido á desnutrição e cuidados).

Os principais Rebanhos do País:

è  Bovinos – É a mais importante do país. Concentra-se no Centro – Sul do país, o maior rebanho bovino está em Mato Grosso do Sul.
è  Suínos – É o 2º maior do país. Concentra-se no Centro Sul do país, principalmente, Paraná e Rio Grande do Sul.
è  Ovinos – O maior rebanho de ovinos concentra-se no Rio Grande do Sul.
è  Caprinos – Concentram-se na Região Nordeste (CE, BA).
è  Búfalos – o rebanho de búfalos se concentra na Amazona, em especial na Ilha do Marajó – PA.
è  Aves – O Brasil é o 2° maior produtor de aves da América destaca-se a produção de frangos na Região Sul.
AGROPECUÁRIA BRASILEIRA
O setor primário de nosso país vem ganhando espaço interessante na mídia, em virtude das discussões da Rodada de Doha (OMC). Nosso sistema agrícola que passou de um modelo comercial para agroindustrial (voltado para exportação).








Comércio externo do Brasil

A partir da década de 1960, o Brasil deixou de ser um país agroexportador no comércio internacional e passou produzir e exportar produtos industrializados.

BENS industrializados que o Brasil exporta:
Ø  aviões
Ø  suco de laranja
Ø  veículos de carga
Ø  armamentos
Ø  bebidas

produtos mais exportados pelo Brasil estão:
Ø  Minério de ferro;
Ø  Soja;
Ø  Petróleo;
Ø  Café;
Ø  Automóveis;
Ø  Tratores;
Ø  Açúcar;
Ø  Carne de boi e de frango.

produtos que o Brasil mais importa :
Ø  Motores e turbinas para aviões;
Ø  Medicamentos;
Ø  Petróleo;
Ø  Trigo;
Ø  Cobre.

Desde 2001 a balança comercial do Brasil apresenta superávits, ou seja, exporta mais do que importa. O ano de 2014 quebrou essa sequencia de superávits, com um déficit de 2 bilhões de dólares em 2014.

q  O país que mais compra produtos brasileiros é a China, maior parceiro comercial do Brasil, tanto em exportação quanto em importação.

q  O MERCOSUL é um importante parceiro comercial do Brasil, principalmente a Argentina (terceiro maior parceiro comercial do Brasil).